Síndrome de Brugada

 

Em 1992,  os irmãos  Brugada ,  descreveram uma nova síndrome clínica caracterizada pela presença de um padrão eletrocardiográfico.

Os pacientes com síndrome de Brugada, geralmente homens, apresentavam taquicardias ventriculares e fibrilhação ventricular. Dos pontos de vista anatómico e  de contracção, o coração é normal (o ecocardiograma não mostra anormalidades). Até o presente momento, sabe-se que alguns desses pacientes apresentam uma exuberante instabilidade eléctrica do coração (ventricular).

Que é o síndroma de Brugada?

O síndroma de Brugada é a mais comum causa de morte súbita (12% dos casos) em indivíduos sem alterações cardíacas estruturais. O síndroma de Brugada, é uma arritmia hereditária que faz com os ventrículos batam tão rapidamente que podem impedir que o sangue circule eficientemente no corpo. Quando esta situação ocorre (também chamada fibrilhação ventricular), o indivíduo desmaia e pode morrer em alguns minutos se o ritmo do coração não for restabelecido. Esta doença tem maior incidência em indivíduos adultos do sexo masculino na idade adulta, sendo que os casos de morte súbita aparecem por volta dos 40 anos de idade, mas têm vindo a ser diagnosticada em todas as idades. Por isso, é importante fazer um rastreio em toda a família. Nem todos os que tem a doença terão arritmias. Entretanto, não se pode saber quais os que terão problemas. Se o paciente tiver algum desmaio, este poderá estar relacionado com a Síndrome de Brugada, indicando a prática que essa pessoa tem um risco muito elevado de arritmias malignas.

Pode provocar morte súbita (através de fibrilhação ventricular), principalmente em indivíduos em repouso ou durante o sono.

Fibrilhação Ventricular 

O que é uma arritmia?

O ciclo regular de contracções faz com que o sangue seja bombeado eficazmente para fora do coração. Os problemas de ritmo podem ocorrer em qualquer lugar no sistema eléctrico  e interferir com o bombeamento eficaz do sangue. O coração pode bater demasiado rápido (taquicardia), demasiado lento (bradicardia), ou de forma irregular. Estas batidas anormais são conhecidas como arritmias. Durante uma arritmia o paciente pode sentir sensações diferentes como: não sentir nada, sentir um martelamento no coração ou vibração, uma dor no peito, falta de ar. Entretanto, quando a arritmia é muito severa o coração não pode bombear eficientemente o sangue, o que pode provocar o desmaio e até mesmo morrer.

Há alguma medicamentação para a síndrome de Brugada?

O síndrome de Brugada foi descoberto há pouco mais de 15 anos, e ainda não há nenhuma medicamentação para impedir os “black outs”.

Existe alguma forma de recuperar o batimento normal do coração quando este bate demasiado rápido?

Sim, há um dispositivo especial que se implanta debaixo da pele do tórax, chamado desfibrilhador, que quando detecta batimentos rápidos e irregulares, liberta uma carga eléctrica directamente no coração, fazendo aquilo que os informáticos chamam de “Reset”.

Se um de meus pais ou irmãos tem o Síndrome de Brugada o que devo fazer?

É importante seguir algumas etapas importantes:

  • Contacte seu médico que executará provavelmente um exame físico e um eletrocardiograma. O padrão do Síndrome de Brugada pode ser visto em algumas ocasiões imediatamente a um esforço físico num eletrocardiograma, mas às vezes, poderá ser necessário a administração de um medicamento.
  • Se o eletrocardiograma mostrar o padrão do Sindrome, ou se você teve alguns sinais que seu coração funciona mal, como a perda de consciência, desmaios, o seu médico pode recomendá-lo a submeter-se a um teste electrofisiológico. Este é um teste que verifica a actividade eléctrica do seu coração e se existe qualquer problema eléctrico que leve ao seu mau funcionamento.
  • Porque o Síndrome é hereditário, o médico pode pedir uma amostra de sangue para fazer uma análise genética na sua família.

Sinais  e sintomas:

Os pacientes portadores dessa síndrome são assintomáticos fora das crises de arritmia cardíaca. Quando essas arritmias ocorrem, pode haver palpitações, tonturas, falta de ar, sensação de desmaio, desmaio e, até, parada cardíaca, podendo ocorrer uma morte súbita.   

Diagnóstico:

A documentação  de arritmias ventriculares graves, história de síncope (desmaio)  ou paragem cardíaca, um histórico familiar de morte súbita , o eletrocardigrama característico e um ecocardiograma sem alterações estruturais, levam ao diagnóstico.

Tratamento:

Além do uso de antiarrítmicos, o desfibrilhador automático implantável (CDI – aparelho que identifica e trata as arritmias cardíacas com um choque eléctrico), é a única forma de tratamento dos pacientes portadores do Síndrome de Brugada.

Fonte: Geneteste, Wikipédia, Fundação Brugada 

Revisão: Dr Daniel Bonhorst

Para informações mais detalhadas, consulte o boletim nº5 de Abril de 2008  da APPPC’s.

84 respostas

9 07 2009
Helena maria

Boa Noite! estou pesquisando esta sindrome; pois o meu esposo ; marcos antonio; esteve internado na UTI do Ana Nery com suspeita desta sindrome. Ele hoje esta´em casa, em repouso; aguardando a liperaçaõ dos exames e possivel cirurgia. Já fomos enformados de que estes exames são muito caros; porisso gostaria de saber, onde e como fazer esses exames o mais urgente possivel. pois o mesmo tem essas crises duas veses na semana. aguardo resposta urgente.

9 07 2009
Thierry Martins

Olá Helena,

Aí no Brasil não sei bem como funciona, mas aqui em Portugal é um procedimento gratuito.
Mas pode visitar este blog – http://josielalvs.blogspot.com/search/label/Desfibrilador%20Implant%C3%A1vel – de um grande amigo meu aí no Brasil, que têm o S.Brugada, talvez possa ajudá-la melhor.

As melhoras para o seu esposo.

2 09 2009
Marcelo Miranda

Cara Helena Maria e Thierry Martins, gostaria de trocar referências com vocês a respeito dessa sindrome e do modo de vida que vocês passaram a adotar apos o diagnóstico.
Eu, tenho 36 anos e fui diagnosticado como portador da síndrome em 10/08/09, em Recife Pernambuco. No dia 27 do mesmo mês já fui submetido a cirurgia de implantação do CDI – Cardioversor Desfibrilador Implantável e estou de licença médica, mas confesso que gostaria de informações sobre pacientes já implantados.
Grande Abraço.
Marcelo

3 09 2009
Francisco

Olá Marcelo, o Meu nome é Francisco Pico, e a minha história está mais ou menos escritas neste blog na parte partilha de experiências.
a mim foi-me diagnosticada a sindrome dia 30 de outubro de 2008 e passados 7 dias foi-me implantado o CDI.
Nos primeiros tempos foi para mim muito dificil aceitar, tinha muitos ataques de anciedade, entrava em panico com medo de levar um choque.~
O Thierry e uma outra rapariga chamada Rita ajudaram-me muito a perceber que se pode ter uma vida normal mesmo com um aparelho dentro de nós, mas mesmo assim procurei ajuda num psicologo, ainda hj tomo ancioliticos para diminuir a anciedade. e ajudou-me muito, agora quase n penso no aparelho, tenho uma vida quase igual á que tinha, apenas n conduzo por enquanto.
Já tive uma terapia do aparelho com 2 choques, n senti nda porque desmaiei. mas desde fevereiro, desde que tenho controlado os niveis d potássio em mim tem feito milagres, n tenho nem sentido palpitações.
Um abraço Francisco

10 12 2009
rui videira

ola francisco. o meu nome e rui e escrevo-te porque tenho um familiar que padece deste sindrome. a minha pergunta e a seguinte – como controlas os niveis de potassio? com quinidina? um abraco. rui videira. coimbra, portugal

10 12 2009
Thierry Martins

Olá Rui.

O nivel de potássio pode ser controlado através de análises. Eu contudo tento controlá-lo ingerindo alimentos ricos em potássio como a banana e a laranja.
Quanto à quinidina, é mais apropriada para controlar as arritmias.

13 12 2009
Francisco

olá rui

Eu faço exactamente como o thierry explicou, como mtas bananas, 1 por dia um bom sumo de laranja também, e vou fazendo analises regularmente. E na verdade os niveis de potassio tem mta influencia no meu organismo. ;)

15 12 2009
rui videira

muito obrigado pelas vossas respostas. somos, sem duvida, aquilo que comemos… procuro alguma leitura sobre o sindrome, hábitos a tomar, etc. podem também ajudar?

francisco, és português? eu sou da zona centro deste nosso jardim (ou não) á beira mar… ;-).

rui videira

21 12 2009
Paula Baptista

Exmos.
Tenho uma irmã que está sempre cansada, sofre de vez em quando de arritmias repentinas com suores e falta de ar, segundo o INEM que já a assistiu uma vez em casa, parecem AVC ou ataques cardiacos mas segundo diagnóstico não aparenta ter nada. Qual o exame mais preciso para despiste (o electrocardiograma que fez não apresentou nenhuma anomalia)desta patologia, o que me aconselham que lhe sugira?

31 01 2010
paiva

Tenho enfisema pulmonar, sempre senti arritmias(desde criança),cansaço,falta de ar nocturna ou diurna,desmaios rápidos,faço electrocardiogra mas regulares,tenho anomaliaauricular esquerda e calcificações ateromatosas da aorta e seus ramos.
Tenho 57 anos e sou do sexo feminino.Posso ter este sindroma e ter transmitido a meu filho?
Vivo no Porto.Quais os cardiologistas mais indicados para consultar?
Com os meus cumprimentos.

3 02 2010
paiva

Não esclarecida.Tenho uma filha de 20 anos e um filho de 18.Nos etrocardiogramas que fiz não despistaram o sindroma.
Agora, com informação recebida, sei que posso ter transmitido tanto a filha como a filho, caso seja portadora.A informação que tinha estava errada (que o género masculino pode

3 02 2010
paiva

(que o género masculino poderia ter mais complicações que o feminino).Quero fazer os testes com meus filhos e marido.
Peço orientação.Obrigada.

5 05 2010
Sandra Pais

Olá Paula, boa tarde, o meu marido tem o Síndrome de Brugada, possui um cardioversor desfibrilhador há já 5 anos.
Não teve sintomas alguns, uma vez que esta síndrome é assintomática, fez todo tipo de exames desde ecocardiograma, Holter, prova de esforço, cateterismo, electrocardiograma, o único que o detectou foi o exame electrofisiológico, que consiste em estimular o coração., teve uma paragem cardíaca e foi estimulado, voltando à vida felizmente.

Boa tarde Paiva, o meu marido está a ser seguido pelo Drº. António Pinheiro Vieira, é um excelente médico, o Drº. Hipólito Reis, também é optimo e existem mais ao serviço do Hospital Santo António que são muito bons, refiro estes porque foi com quem tive contacto e lhes agradeço imenso a forma como o meu marido foi acompanhado.

7 05 2010
Paiva

Obrigada,Sandra.

Sei que no Hospital de Gaia também há quem esteja preparado.

No H.S.João tem sido lento e uma decepção.
Esta espera e falta de humanidade, de obediencia à contenção de custos demonstra como a política de saúde pública está e o que vai piorar.

15 05 2010
marcondes jr bessa alves

Bom dia para todos eu passei por todos esses problemas mais com ajuda da familia eu estou superando todo, como vcs eu tenho 33 anos hoje, a dois anos atras em 2008 eu foi comunicado que tinha sindrome de brugada com esse diagnostico veio que os meus dois rins já estava comprometidos teria que fazer um transplante de rins mais antes tenho que fazer hemodialesi tres vezes por semana ate aparecer um rin compativo.O que eu tenho a falar para vcs é deus maior que todo temos que ter forças para suportar os obtacolos que vem na nossa frenti sei que não e facil mais temos que lutar com unhas e dentes porque do seu lado tem pessoas que não tem a nossa doença mais sofri tanto quanto nóis ou mais ainda mi descupa pelos erros Abraços para todos e fique com DEUS! marcondes jr bessa alves,
IRACEMA-CE BRASIL.

30 05 2010
wallas almeida de oliveira

olá pessoal em primeiro lugar é um enorme prazer esta dividindo e aprendendo com vcs tenho 26 anos e no dia 27 de março de 2009 tive um ataque cardia enseguido com parada por um periodo e foi diagnosticado ( sidrome de brugada) . mas duas semanas depois do emplante do aparelho ja não estava mais imprecinado vivo normal sem preucupações nem lembro q fiz o emplante trabalho e tudo mais sem contar q no dia 24de abril de 2010 foi o dia do meu casamento e minutos antes tive uma terapia pelo aparelho logo depois eu fiquei com medo mais levantei a cabeça e fui me casar e acabei esqueçendo novamente e hj estou aqui valeu abraços

30 05 2010
wallas almeida de oliveira

olá pessoal pessoal só terminando eu fiz o emplante no hospital ana nery em salvador ba

9 08 2010
Carla

Olá, o meu nome é Carla, fiz um electrocardiograma e acusou a síndrome de Wolff-Parkinson-White . Gostaria que me indicassem um cardiologista para este tipo de sindrome no Algarve.
Cumprimentos,
Carla.

16 08 2010
Thierry

Olá Carla

Pode tentar no Hospital particular do Alvor, Dr Pedro Adragão.

16 09 2010
Aracyra mello

Meu marido foi diagnosticado com Syndrome de Brugada. através do ECG.porem os demais exames como ECO e Teste ergometrico e HOLTER 24 Hs deu resultado normais.
o que devemos fazer agora?
obrigado.
Aracyra.

16 09 2010
David Cota

Estou a pesquisar o síndrome de Brugada, porque parece que tenho esta anomalia!
Estou ainda internado no hospital e vou fazer mais uma série de exames para confirmar.
Tenho 46 anos e ao longo da vida já tive 3 síncopes. A primeira ocorreu quando tinha 24 anos logo, antes de ser descoberto o síndrome de Brugada, foi-me diagnosticada uma baixa de tensão. A segunda há cerca de 7 anos e a terceira ontem.
Nos dois primeiro casos não sei se cheguei a ter paragem cardíaca mas ontem, dia 15 de Setembro de 2010, ocorreu durante mais de uma dezena de segundos, felizmente o coração resolveu sozinho recomeçar.
Segundo a cardiologista que me segue (que tem sido excelente) os sintomas também poderiam ser explicados com base numa doença coronária, mas de facto não tenho os factores de risco: não fumo, não bebo álcool com frequência, não tenho colesterol nem triglicerídeos em níveis elevados, faço exercício regular (praticamente todos os dias) e não tenho peso em excesso, além disso os mascadores para a doença coronária deram, já varias vezes negativo.
Por outro lado, segundo alguns especialistas, em arritmia, que já observaram os meus electrocardiogramas, as perturbação eléctricas do meu coração também não são típicas do síndrome de Brugada pelo que ainda restam algumas dúvidas a esclarecer.
Para resolver esta questão vou, em breve ser submetido a alguns exames. nomeadamente o electrofisiológico.
Solicito a resposta de alguém que conheça mais alguma coisa relacionada com esta sintomatologia.

6 10 2010
Bruno Carl

Ola pessoal, eu tenho essa sindrome de brugada, fiz o implante do desfibrilador, posso ajudar com respostas melhores desta doenca.
Nao minha situacao aceitei bem nao teve grandes prolemas para mim, quem quiser me mandar um email, posso ajudar em alguma duvida.
brunaocarl@hotmail.com

Abracos a todos

14 10 2010
Simone

Boa Tarde,

Meu nome é Simone e acabo de saber que meu marido tem a doença, ele esta sendo pesquisado no Instituto Dante Pasanesi e quero maiores informações sobre qual a probilidade de meu filho ter? Ja foi solicitado a ida dele para exames, porém, estou muito preocupada. Meu filho tem 16 anos.

Atenciosamente,
Simone

8 11 2010
José Maria

A SINDROME DE BRUGADA É UMA DOENÇA DE ORIGEM GENÉTICA, MAIS COMUM NO SEXO MASCULINO. CARACTERIZA-SE GERALMENTE POR EPISÓDIOS DE TONTURAS, HIPOTENSÃO E DESMAIOS, LEVANDO ALGUMAS VEZES AO ÓBITO POR TAQUICARDIA OU FIBRILAÇÃO VENTRICULAR. ESTRUTURALMENTE, O CORAÇÃO É NORMAL; A ALTERAÇÃO É NA PARTE ELÉTRICA DO CORAÇÃO. POR ISSO, O ELETROCARDIOGRAMA, O ECOCARDIOGRAMA, O TESTE ERGOMÉTRICO, O CATETERISMO CARDIACO SÃO NORMAIS, SENDO QUE O ELETROCARDIOGRAMA SÓ SE ALTERA NAS CRISES. O DIAGNÓSTICO MUITAS VEZES SÓ É REALIZADO ATRAVÉS DE CHAMADOS TESTES PROVOCATIVOS, COM A ADMINISTRAÇÃO VENOSA DE ALGUMAS SUBSTÂNCIAS, QUE PODERÃO REPRODUZIR AS ALTERAÇÕES ELETOCARDIOGRÁFICAS CARACTERISTICAS DA SINDROME, FIRMANDO O DIAGNÓSTICO. O TRATAMENTO ATUAL É COM O CARDIODESFIBRILADOR IMPLANTÁVEL – CDI, QUE, NO BRASIL, É CUSTEADO PELO SERVIÇO ÚNICO DE SAÚDE ( SUS )

8 11 2010
José Maria

RETIFICO: O ELETROCARDIOGRAMA GERALMENTE SÓ SE ALTERA NAS CRISES.

8 11 2010
filipe

Se é portugues e vive no Norte nunca recorra ao H.S.J. mas ao H. de Vila Nova de Gaia: Dr João Primo. Refiro- me ao síndroma de Brugada.
Vamos trocando nossas experiências porque serão uma ajuda suplementar.

26 11 2010
leopoldo martins de oliveira neto

olá a todos,em primeiro lugar, muito obrigado, pois os relatos e as informações contidas nesse espaço foram de grande ajuda quando soube da arritmologista; Dra. Stela Maria Vitorino Sampaio( minha salvadora ), que tinha síndrome de brugada e que o único tratamento era a implantação do cdi. já estou com 22 dias com o cdi me sentindo ainda um pouco perplexo porém confiante e com muita vontade de viver. que incrível essa tecnologia, pois eu tambem possuo um aparelho de home monitoring, no qual a minha talentosa médica pode me monitorar via internet a qualquer hora. não posso ainda deixar de agradecer ao meu plano de saúde, que rapidamente autorizou todos os procedimentos. moro em fortaleza, ceará, brasil.

16 01 2011
maria

Quem me sabe informar sobre a alteração de custo em Portugal, em Hospital Público, do implante de cardiodesfibrilador e do tempo que demora entre o diagnóstico e o implante?
Obrigada.

18 01 2011
Thierry Martins

Maria.

Em Portugal o custo do CDI é suportado pelo sistema nacional de saúde. E o tempo que demora a ser implantado é relativo, mas tanto pode ser na hora em que é diagnosticado o SB, ou poucos dias depois.

19 01 2011
Thierry Martins

Simone,

Tem novidades acerca do seu marido?

19 01 2011
Thierry Martins

Bruno Carl

Já teve algum episódio?

13 03 2011
Elisvânia Oliveira

Olá José Antônio,
Meu namorado fez um implante de CDI, também no HCUFMG-BH MG. Mas essa semana terá que fazer cirurgia novamente, pois o cabo está deslocado e terá que ser colocado mais profundamente,,,
Gostaria de saber se vc retornou suas atividades normalmente, pois meu namorado trabalha lavando carros e não sabemos se ele poderá voltar a trabalhar…

26 04 2011
Angelita Pereira de Lima

Olá, meu nome é Angelita, moro em Goiânia, Brasil e trago uma angústia comigo. Meu filho mais velho, na época com 16 anos, faleceu no dia 25 de março de 2009, de morte súbita, enquanto dormia. Nenhum dos exames pós-morte indicou qualquer alteração em seu organismo. Era absolutamente saudável. Tenho dois filhos menores e agora fiquei sabendo da Síndrome de Brugada. Pelo que entendi, ela não pode ser identificada após a morte da pessoa. Sendo assim, eu deveria providenciar uma investigação em meus outros filhos?, um tem cinco e o outro tem 16 anos agora. Há alguma indicação de médico na minha cidade?

8 05 2011
Maria Fabiana

Meu marido tem 33 anos e é portador da síndrome de brugada , além dele a mãe , dois irmãos e duas irmãs e todos fizeram implante de CDI . O acompanhamento foi feito no INCOR (Instituto do Coração ) em São Paulo , tudo gratuitamente , sem demora !!!
Antes de descobrimos a doença minha sogra perdeu 3 filhos e todos de morte súbita .Por ser hereditário uma de suas irmãs fez acompanhamento com a equipe que cuida do caso e foi constatado que também possui ,mas um de seus irmãos acaba de falecer de morte súbita porque não procurou tratamento .Lá no INCOR todos da família devem fazer o exames para saber se tem a doença , filhos , irmãos , netos …
Tivemos muita sorte porque o tratamento é caríssimo e foi feito tudo de graça .
Nossa família é muito feliz hoje , porque foi descoberta a tempo e o tratamento foi imediato .

13 07 2011
Bruno Carl

Não tive nehum episódeo, faz uma ano que tenho o aparelho, vida normal.

11 08 2011
Luciene Bello

Gostaria de saber se depois de implantado o CDI uma pessoa que antes praticava ciclismo e pedalava 50 a 100km por dia pode retomar essa atividade? Existe alguma restricao para a pratica de atividades que exijam esforco cardiovascular?
Obrigada
Luciene Bello

11 08 2011
Margarida

Olá Luciene

O CDI fica programada para quando o coração atingir um determinado ritmo cardíaco emite um choque para o coração retomar um ritmo cardíaco normal. Pelo deverá saber para que valor que o CDI está programado, de forma aquando realiza actividade física não atingir esse valor. Pelo que a retoma da pratica de actividade física deverá ser realizada de uma forma muito gradual e tendo em conta os parâmetros do CDI.

Enf. Margarida Martins

24 09 2011
bruno

Isto e bom para mim porque tambem tenho esa doenca e nao conhecia todos os detalhes sobre ela

6 10 2011
Joao

Eu, além da síndrome da morte súbita, tenho miocardiopatia hipertrófica. Recebi o implante do CDI há aproximadamente 18 meses.
Indico as pessoas que tem histórico familiar (pais, irmãos, avós) que façam exames em si e em seus filhos pois esta doença é congênita. Faço acompanhamento no Hospital Dante Pazzanesse em São Paulo (Brasil).
A cada 4 meses faço uma revisão no aparelho. Tomo 1 medicamento 2x ao dia para o coração e mais dois medicamentos controlados para controle da ansiedade. Pois no meu caso, a ansiedade pode causar arritmia e, por consequencia uma parada cardíaca. Tenho total restrição a esforço físico e a stress.

29 10 2011
Maria Aparecida Ferreira

Olá já tive várias crises de taquicardia enquanto dormia, e foi resolvida pelo meu cardiologista com medicamentos que diminui a frequencia cardíaca.
cheguei a pensar que não acordaria.
Hoje durmo mais tranquila.
Maria Aparecida
de Abadia de Goiás

7 01 2012
joao

Olá, sou de Lisboa-Portugal e espero que todos que contribuiram com as suas experiências neste espaço, se encontrem bem. Eu não sei se tenho a sindrome de brugada, mas tenho tido episódios de taquicardia muito rápida e uniforme durante a noite, quando estou a dormir que se tornam assustadores, com frequencias de 200 a 240 bpm, embora nunca tenha desmaiado. Aguardo o resultado de um detector de eventos e muito provavelmente vou em breve fazer uma ablação por me ter sido diagnosticada à uns meses atras uma Fibrilhação Atrial (FA), só que estes sintomas são novos, diferentes e parecem não se enquadrar na FA. Abraço e desejos de melhoras a todos, neste novo ano de 2012.

21 01 2012
NEUZA CORREIA

Olá, alguem pode me dar uma informação, tive um sobrinho que morreu com 22 dias de morte subita, uma sobrinha que foi diagnosticado problemas na valvula mitral, minha irma ja fez dois cateterismo e agora meu irmao com 52 anos foi detectado que tem sindorme de brugada e precisa implantar o aparelho urgente mas nao temos condiçoes de fazer isto, alguem pode me sugerir um tratamento mais rapido e com pouco custo, eu sou do sexo feminino e tenho 42 anos , tenho jmuita palpitação e fiz eeg e ecocardiograma, nao sendo contatado nada, mas tomo ansiolitico e remedio para dormir todos os dias e tenho palpitação todos os dias. Onde devo procurar ajuda? STEFANIE DE MG

22 01 2012
Pedro Henrique

Gostaria de saber q cuidados ter depois da cirurgia da colocasao do CDI,pois meu pai colocou resentimente o aparelho

23 01 2012
Thierry Martins

Olá João,

Já sabe o resultados dos exames?

23 01 2012
Thierry Martins

Olá Neuza,

O único tratamento conhecido para a morte súbita é a implantação do CDI. entretanto existe um medicamento à base de quinidina que pode ajudar, mas não é garantido. veja com o seu cardiologista.

23 01 2012
Thierry Martins

Caro Pedro

O seu pai deve ter cuidado para não fazer movimentos bruscos com o braço esquerdo pelo menos durante 15 a 20 dias.

A partir daí poderá ter uma vida normal.

Qual foi o motivo para o implante do CDI?

5 02 2012
Ana Flávia

olá,meu nome é Ana Flávia,tenho 18 anos,uso o CDI a dois,meus medicos descobriram meu problema atravez de um holter,que por conhecidencia,flagrou uma dessas terapais,eu tinha 16 anos nessa epoca,a operação foi imediata,dentro de 10 dias depois do laudo ja estava usando o CDI,mais eu gostaria de saber como eu ainda estou viva,pois vinha me dando essas crises desde meus 8 anos e com frequencia e sempre tornara das crises sem auxilio de nenhum medico ou aparelho,e sempre fiz tudo o que qualquer pessoa normal faz,poderia me ajudar nessa duvida?

7 02 2012
Thierry

Olá Ana,
Sabes dizer quanto tempo ficavas desmaiada?

10 03 2012
João Paulo

Olá boa noite.
O meu nome é João, tenho 29 anos e um caso um pouco diferente do vosso mas se calhar tão debilitante.
Há cerca de 10 anos que tomei conhecimento de que jovens aparentemente saudáveis morriam sem mais nem menos em questão de segundos, levando me a desenvolver uma doença chamada distúrbio do pânico e ansiedade acompanhada por agorafobia. Nessa altura em que começaram os ataques, fiz alguns electrocardiogramas e o resultado era sempre “traçado normal”. Com recurso a medicamentos psiquiátricos voltei a ter uma vida mais ou menos normal. Aí em 2004 a coisa piorou com a morte do Miki Feher. Comecei novamente a ter ataques de panico e a não conseguir sair de casa porque poderia ter uma paragem cardiaca a qualquer momento. Pedi ao meu médico para fazer mais uns exames e fiz um eco e um electro nesse mesmo mês. Resultado, tudo normal. Continuei com esta vida de medo até 2008 altura em que comecei com novas crises de medo e de insegurança. Fiz um Holter e mais uma vez o resultado foi normal, acusando apenas uma extra sistole que o médico disse que não era nada. Sempre gastando rios de dinheiro em psiquiatras, acabei por consultar um cardiologista muito bom aqui em Leiria que me disse que eu não tinha absolutamente nada a não ser um problema psicológico. Esqueci me de dizer que durante estes anos todos deixei de estudar e praticamente nunca consegui manter um emprego. Não pratico qualquer tipo de desporto pois tenho imenso medo, passo os dias em grande depressão, não vou a estádios de futebol com medo de ter emoções fortes, não viajo, passo os dias a ler sobre morte subita em jovens. O ano passado tive mais uma grande crise e voltei ao cardiologista, fiz mais um holter e um eco…tudo normal e 6 extra sistoles supra ventriculares no holter. Sei que nestes 10 anos já fiz cerca de 15 electros, 2 ecos e 2 holters tirando os que fiz nas urgencias do hospital quando tinha crises agudas de panico. Fiquei um pouco sossegado com o resultado dos exames, mas foi sol de pouca dura pois no dia de carnaval li uma noticia de uma jovem de 25 anos que morreu subitamente e voltei ao mesmo calvário. Já não sei mais o que fazer, vivo os meus dias sempre com a sensação de que a qualquer momento passo desta para melhor, uma sensação de insegurança que nem voces portadores de ICD têm. Se calhar era isto que eu precisava, conhecer pessoas que jápassaram por aquilo que eu temo. Eu sei que miocardiopatia hipertrófica muito dificilmente eu tenho, assim como as demais cardiopatias estruturais, mas estas doenças como sindrome do qt longo, brugada, tv ideopática são muito mais perigosas e dificeis de detetar, daí a minha constante insegurança. Uma das questões que eu gostaria de perguntar é a seguinte: a todos aqueles que já tiveram um episódio de colapso repentino, o que sentiram antes e quanto tempo durou esse sintoma até apagarem?
Peço desculpa por ter publicado uma coisa que nao tem nada a ver com o assunto do blog, mas vou continuar a seguir vos. Por acaso não têm facebook?
Um abraço para todos e muita saúde.

11 03 2012
Ricardo Lamacchia

João Paulo, me manda o seu facebook e seu msn para conversarmos. Também sofri de TAG (Transtorno de ansiedade generalizada) e sou hipocondríaco, pois já li MUITA coisa a respeito de cardiologia. Se quiser, sinta-se à vontade para me adicionar no msn: ricardolg@terra.com.br. Abraços!

11 03 2012
João Paulo

Olá Ricardo.
Meu facebook é este:
http://www.facebook.com/profile.php?id=584064556
Aguardo seu pedido de amizade.

28 03 2012
miguel lopez

olá a todos, me chamo miguel e sou espanhol (Huelva, Andalucia), em primeiro lugar quero dar muitos animos a todos os que teneis este sindrome, e vos dizer que ainda que é muito duro o saber, se pode viver com o com uma verdadeira normalidade( há que se cuidar um pouco). Minha mulher (Maria 47 anos) e meu filho ( Miguel 17 anos) são portadores deste sindrome ,e os dois levam implantado um desfibrilador, e fazem uma vida practicamente normal. se querias saber mas de nós vos metei no facebok e procurar o grupo do sindrome de brugada aqui em españa, somos muitos. um abraço para todos

30 03 2012
Thierry Martins

Olá Miguel,

Quero agradecer as tuas palavras de ânimo e de conforto.

A tua mulher e filho, já alguma vez tiveram um episódio? Com que idade é que detectaram na tua filha o SB.

Gracias
Thierry

30 03 2012
miguel lopez

a meu filho detectaram-lho com 9 anos porque teve um sincope e uns dias despues do primeiro sincope teve uma morte subita, graças a deus passo-lhe estando ingressado no hospital e puderam-no reanimar, a partir de ahi implantaram-lhe o desfibrilador, lhe volvio a repetir a fibrilacion ventricular e deram-lhe várias descargas do desfibrilador,que lhe vovieron a salvar a vida. se lhe descubrio que ademas do sindrome de brugada ténia um foco de arritmias no ventriculo direito que era o que lhe desencadeava o brugada, aqui no hospital de Huelva há um dos melhores equipas de arritmiologos de españa, lhe procuraram o foco e lho ablacionaron (no hospital a paz de Madri nãoconseguiram-no) hoje dia tem 17 anos e esta fenomenal, leva uma vida normal, faz desporto …, não voltou a ter ningun episódio.

4 04 2012
Ana Luísa

Boa noite,
O meu nome e Ana Luisa, venho por este meio pedir mais informaçaoes sobre a doença e a onde me posso dirigir, o que se passa e que o meu namorado em 24 de Junho de 2011, foi internado no hospital Amato Lusitano de Castelo Branco com muitas dores no peito do lado esquerdo, falta de ar, tonturas e desmaios, fizeram-lhe ecocardogramas e nao dava nada. ele voltou a desmair e a vomitar, e voltaram a repetir o ecocardiogarma e detectaram arritmias, no dia 11 de julho do mesmo ano foi, transferido para o hoapital de Santa Cruz em Lisboa, onde lhe fizeram uma ablaçao, ele saiu no dia 26 de julho do hospital, andou um mes bem, a partir desse mes tudo voltou a acontecer, a falta de ar, as dores muito fortes no peito e os desmaios, foi varias vezes a parar ao hospital e nao lhe fizeram nada, ele tentou ir trabalhar e nao consegui derivada as dores insuportaveis, tovama varias coisas para as dores e nada, ele anda a ser seguido no hospital de Castelo Branco, e o medico continua a afirmar que ele nao tem nada, ele esta de baixa, mas a partir de Maio o medico ja nao lhe pode passar mais baixa, eu ja nao sei a onde ir nem o que fazer, isto nao e vida para ele nem para a familia, falaram-me da vossa reportagem e resolvi vir por este meio a pedir a vossa ajuda, aqui no Hospital de Castelo Branco nao nos querem ajudar e nao nos querem recaminhar para outro lado e no Hospital de Santa Cruz tambem nao querem saber do caso, se me puderem ajudar eu agradecia muito, pois tenho medo que algo lhe aconteca a qulauer momento e estou a ficar desesparada. Obrigado e fico a aguadar uma resposta

16 04 2012
Ana da Silva

Ola a todos ! Parabens por manter este espaço, pois este assunto é complexo e as dúvidas imensas…Peço a Maria Fabiana que postou em Maio de 2011 as informações sobre sua familia, o contato médico no INCOR – Sao Paulo.
Grata,
Ana da Silva.

30 04 2012
marta

Boa noite!
Meu nome é Marta, venho pedir ajuda. Me pai de 75 anos fez implante de CDI e em menos de 30 dias após o implante ele teve a primeira parada respiratória onde ele levou dois choques para voltar ao normal, só que ele diz não lembrar de quase nada, más quem estava com ele na hora pensou que ele não voltaria mais, foi um susto muito grande devido a situação em que ele ficou, pois ele apagou e não respirava mais, soltava espuma e sangue pela boca, meu filho que estava com não sabia o que fazer, depois de muitas tentativas de fazê-lo voltar ele foi retornando ao normal aos poucos, más continua muito triste e parece que sempre a espera de voltar tudo novamente. Alguém sabe o se deve fazer nessa hora? Por favor se alguém já passou por esta experiência nos ajude. Obrigada.

1 05 2012
Thierry

Olá Marta,

Eu já passei por muitos episódios, mas de facto deitar espuma e sangrar da boca, nunca me aconteceu. Procure o seu médico e coloque-lhe essas questões.

O facto de levar choques e não se lembrar é normal, mas tente ver essa questão.

Thierry

1 05 2012
pedro félix

Olá bom dia.
Meu nome é Pedro Félix, pratico desporto desde os meus 7 anos, (futebol), até aos meus 26 anos, e aos 17 anos o primeiro desmaio.
Desde ai que ando em estudos, e a uns 8 anos foi-me diagonosticado Miocardiopatia apical hipertrofica aguda, mas as duvidas continuam porque segundo os médicos que me acompanham acham estranho certos sintomas que tenho, so tenho crises de dores no peito e desmaios em repouso, capacidade fisica a cima da média, por vezes batimento cardiaco de 30 batimentos por minuto, como por vezes acelerações repentinas.
Os médicos dizem que os exames feitos até hoje são inconclusivos, desde ecocardiogramas, holter, ressunancia, cateterismo, e andei com um reveal durante 2 anos.
Gostaria de saber a sua opinião sobre o meu caso,porque tenho 36 anos com 2 filhos um de 8 e outro de 9, e sinto-me um pouco assustado em relação ao meu futuro e ao dos meus filhos.
Deixo aqui o meu email para uma futura resposta: pedromff76@hotmail.com
Despeço-me com um abraço para todos e muita força.

Pedro Félix

3 05 2012
Beatriz Monteiro

Bom dia,
O meu nome é Beatriz, só agora tive conhecimento da doença de síndrome de Brugada, gostaria de saber se o meu problema terá alguma ligação a esta doença.
Tenho 59 anos e em pequena recordo que por vezes sentia aquela sensação de desmaio, ao longo de todos estes anos tenho sentido arritmias tonturas, sensação de falta ar, nos ultimos anos o problema tem agravado, arritmias mais frequentes, mais intensas quase sempre durante a noite o que me deixa sem forças no dia seguinte devido ao longo periodo em que ocorrem as arritmias, criando em mim medo de passar a noite sózinha, ultimamente também acontece que nesse mesmo periodo a minha bexiga enche constantemente, fora do normal.
Os exames que tenho feito dá algumas alterações não muito concretas, o médico diz que só numa crise teria a certeza do problema o que se torna difícil.
Um abraço.

3 06 2012
Ramiro Leao

Olá Filipe,
Em Março pp, foi-me implantado um CDI pela equipa da Dra Raquel Garcia no H.S. João onde estive internado 3 dias. Fiquei muito boa opinião acerca da maneira como fui tratado, tanto pela equipa médica como enfermagem ou auxiliares, bem como boas instalações em Cardiologia e alimentação.Anteriormente, estive 9 dias internado em cardiologia no H. Padre Américo ( C.H. Vale Sousa), onde decidiram que me deveria ser implantado o dito aparelho CDI; deste hospital tambem tenho a melhor opinião. A todos aproveito para testemunhar o meu agradecimento pelos cuidados e serviços que me prestaram.
Ramiro Leão

19 06 2012
marailton

eu temho um irmaõ com 22 anos e tar cm os sitomas pode ser sidrome de brugada ?quiria uma resposta ligeira pq ele foi e caminhado para natal urgente

31 07 2012
ANDREIA RAQUEL DA COSTA RIBEIRO MARTINS

o la pessoal chamo_me andreia ribeiro martins a volta de 3 meses foi-me diognosticado a doenca sindrome de brugada quando me deram a noticia fiquei como paralisada, nao sabia o que faser, desde entao fui operada na semana seguinte e pus cdi
fiquei um bocado em panico,por saber que o aparelho d a choques, esta e ultima semana de baixa,mas ando tranquila sei QUE isto e pro meu bem estar queria saber mais comentarios sobre pessoas que tem esta mesma doenca obrigado a todos.

7 08 2012
ANDREIA RAQUEL DA COSTA RIBEIRO MARTINS

ola sou andreia na semana passada fui checar p meu aparelho e felismente nao actuou ,isto quer diser esta tudo bem, eu confio neste tratamento ,gostaria de saber de mais depoimentos de pessoas que estao na mesma situacao , abraco atodos

14 08 2012
Jose Filipe Van-dunem Inocencio

Gostei muito importante.

17 10 2012
denilda

olá, me chamo denilda e só tive conhecimento dessa doença agora a poucos dias, infelismente faleceu vitima dessa doença uma colega minha de apenas 24anos, foi fatal não teve tempo nem de ser socorrida,passou mal na faculdade e lá mesmo foi aóbito,derrepente sentiu uma dor de cabeça muito forte seguido de vômito e logo desmaiou e faleceu ali mesmo, a familia e amigos não se conforma, pois ela tinha uma vida normal saudavél sem nenhuma queixa.Mil planos pela frente e nenhum se concretizou , estava terminando a faculdade de agronomia este ano e planos de casar no ano que vem,linda amava cantar dava aulas de músicas.Hoje 17/10/12 fazem 12dias do acontecido.

29 10 2012
maria paula sousa coelho teixeira branco

ola chamo-me paula e a minha vida tem sido um inferno de a 12 anos para ca tenho corrido os cardiologistas todos no porto imensas urgencias ao hospital santo antonio e pedro hispano e nao vejo cura para isto.tenho diariamente palpitaçoes extrasistoles ventriculares e supra ventriculares no qual sao diagnosticadas nos holter que faço e nao vejo ninguem que me trate deste mal apenas dizem que sofro de ansiedade generalizada.quando tenho crises parece que meu coraçao vai parar e ate sinto fraqueza nas pernas ate fico palida e ja tenho medo de andar sozinha ir ao ginagio enfim fazer uma vida normal.com estes problemas tou sem qualidade de vida a zero .

10 11 2012
Adilia

Para quem vive no norte de Portugal a equipa de referencia para o diagnostico do Sindrome de Brugada ,e a equipa de electrofisiologia do Dr.Joao Primo,Dra Helena Goncalves e o Dr. Marco Oliveira. Trabalham no Hospital da Arrabida em Gaia e no Hospital Santos Silva.

21 11 2012
jader

coloquei um aparelho cdi,meu medico mudou minha medicação ai tomei 15 choques seguido,voltei lá e fiquei internado e acertando a mudança da medicação,mas agora estou com medo até de ir até a esquina o que devo fazer???

22 11 2012
jader

gostaria de sabe se tem alguem em são paulo ou proximo que queira troca experiencia sobre o cdi,pois eu mesmo tenho varias duvidas e tenho um implantado a três anos e meio!!jader.miguel@hotmail.com para quem queira se comunica!!!!

23 11 2012
Alex

sem querer desrespeitar os pacientes q sofrem deste sindrome-de-broxada – saliento que o mesmo se deve a umas arritmias anormais – de impulsos electro-quimicos – por isso aconselho nada de stresses, nao morram de véspera por causa desta brugada – e atenção nunca desvalorizem o menosprezam o poder curativo de um copo de um bom vinho tinto do Douro – a casta do Alentejo tb é boa… vá pessoal toca a rir!!!

17 01 2013
FERNANDA

Oi
eu sou brasileira, 23 anos, aos 16 descobri uma arritmia cardíaca, porém eu nunca havia tratado, de lá pra cá tive alguns desmaios sem nenhum motivo aparente e palpitações relacionadas a esforço físico, emocional ou mesmo em repouso. Em 2012 procurei um cardiologista que diagnosticou a arritmia e me encaminhou para a arritmologista. Desde então estou proibida de praticar qualquer atividade física, (até mesmo caminhada) e minha rotina tem sido fazer exames, já fiz 2 eletrocardiogramas(normal), um holter de 24hs(apresentou problema), teste ergométrico e então a minha mpedica falou sobre a sindrome de brugada… estou agendada para fazer um ecodopplercardiograma, tilt-test e depois um estudo estreofisiologico. Confesso que estou um pouco “anestesiada” acho que não consegui entender ainda o que realmente isso quer dizer, e tbm não estou pensando muito nas consequências, mas eu estava cheia de dúvidas e esse blog me ajudou muito, lamento essa sindrome ser tão pouco conhecida ainda no Brasil. Abraços a todos.

28 02 2013
estrela

Boa tarde, o meu marido faleceu com morte subita, há 4 anos, tenho uma filha de 11 anos, e depois de muito procurar acabei descobrindo que este sindroma existe e que ela tambem o pode ter..será que algum de vocês e seguido em lisboa? se sim podiam indicar me o médico ou hospital ? obrigado

15 04 2013
LUZIA

OLA MEU NOME É LUZIA SOU DE MARINGA PARANA ACABO DE DESCOBRIR QUE SOU PORTADOURA DESTA DOENÇA.SERA QUE COM ESTE CID CONCIGO ME APOZENTAR?

13 05 2013
Jarbas

O implante do desfibrilador é muito caro ? Quanto custa + ou – o valor ? É possível fazer pelo SUS ?

24 05 2013
joseny dos Santos

me chamo joseny dos santos e descobrir que tenho Sindrome de Brugada onde fazer o implante do desfibrilador e como mi escrever para lista de espera mi ajude por favor. estou desesperado!

17 06 2013
Adélia Maria

Gente, Tenho um irmão que tem a Sindrome de Brugada, depois de alguns sinais de labirintite, foi ao cardiologista que após fazer um eletrocardiograma identificou o problema . Foi quando o médico pediu que ele fizesse o eletrofisiológico, – o exame foi feito pelo Dr. Eduardo Andrea (Volta Redonda RJ) que constatou a sindrome, logo ficou internado e após 6 dias já estava operado. A cirurgia aconteceu dia 25 de abril de 2013. Leva uma vida normal, após 25 dias já estava em Natal visitando a familia e já voltou a trabalhar. VIDA NORMAL. Não tenham medo, abaixo de Deus, temos os médicos.

24 06 2013
Maria

Olá Jarbas! O meu pai fez o implante através de convênio, mas nos disseram que sem convênio ele custa em torno de R$ 100.000,00. O que foi feito? Os médicos enviaram um documento explicando a necessidade e a urgência e dentro de 20 dias mais ou menos ele conseguiu fazer este implante. Já fiquei sabendo também que se você entrar com o pedido na justiça eles são obrigados a liberar este aparelho que é oferecido gratuitamente pelo SUS.

24 06 2013
Maria

Olá Joseny! O meu pai fez o implante através de convênio (IPASGO), mas nos disseram que sem convênio ele custa em torno de R$ 100.000,00. O que foi feito? Os médicos enviaram um documento explicando a necessidade e a urgência e dentro de 20 dias mais ou menos ele conseguiu fazer este implante. Já fiquei sabendo também que se você entrar com o pedido na justiça eles são obrigados a liberar este aparelho que é oferecido gratuitamente pelo SUS.

29 07 2013
Elizabete Kelly

Ola.Meu nome é Elizabete moro em Recife e queria saber qual hospital posso procurar para saber se possuo essa síndrome,pois perdi um irmão com 39 anos,a cerca de 1 ano e 3 meses.Ele quando mais novo teve uns episódios de desmaios,minha irmã mais velha também esses desmaios mais por períodos curtos.E lendo essa reportagem fiquei pensando será que foi esse o motivo de sua morte prematura? ele deixou um filho e fico com medo de meu sobrinho,o único fruto que ele deixou-nos também desenvolver essa doença.
Agradeço desde já.

14 09 2013
talis

Olá tenho 32 anos e meu batimento cardíaco é 84 por minuto é normal?

4 12 2013
Fernando Santos

O unico hospital publico que pesquisa doenças. Geneticas (fazendo genotipagem)que causariam morte subita é o Instituto Nacional de Cardiologia de Larangeiras, Rio de Janeiro, Brasil fica na Rua das Laranjeiras 374 – 3 andar CEP 22.280

6 02 2014
Ana

Boa tarde, eu sou de Lisboa, e foi diagnosticado ao meu irmão de 18 anos SB à 2 dias. Estamos à espera de uma carta do hospital para ir a uma nova consulta e a única coisa que lhe disseram foi para se dirigir ás urgências do hospital da área de residência se sentisse dor no peito, com irradiação ás costas! Sendo atendido nas urgências possivelmente iria ficar internado e aclarava o processo da possível operação. Depois de ler os vossos comentários já entendi que operação é essa.

A síncope não é normal nele, teve apenas um episódio à uns anos.
Ele pratica actividade física 3 vezes por semana, uma arte marcial, gostaria de saber se há inconveniente nisso. E se pode fazer uma vida normal.

Cumprimentos, Ana

14 02 2014
ana carolina vieira

ola pessoal me chamo Ana carolina tenho 22 anos e sou portadora da síndrome de Brugada foi descoberta recentemente e estou passando aqui para deixar meu email caso alguém queira compartilhar comigo e para que possamos juntos mudar esses atrasos de exames e diagnósticos tem gente morrendo a todo instante por conta disso , e quando descobrir queria mim suicidar mas , hoje já penso diferente pois luto pela vida e faço uso de um medicamento chamado Quinidina ajuda um pouco mas não quer dizer que evita a morte súbita . moro na Bahia e estou aqui em SP no Incor instituto do coração fazendo tratamento e creio que assim como .DEUS tá preparando pra mim ele vai preparar pra vc também . bem ai seque meu email caso alguém queira compartilhar comigo : ana-rol17-22@hotmail.com

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s




Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 115 outros seguidores

%d bloggers like this: