Pacientes de baixo risco na síndrome de Brugada

31 10 2010

 

Em Outubro de 2006 decorreu na internet, http://www.scd-symposium.org, o Simpósio Virtual Mundial sobre Morte Súbita.

 

Reuniram-se médicos de mais de 100 países para debater este tema que afecta milhões de pessoas por todo o mundo.

 

Publico aqui a conclusão da palestra “Existem pacientes de baixo risco na síndrome de Brugada?”. Visite este link  para poder consultar outras palestras do simpósio.

 

Conclusão

“Em resumo, os dados recentes indicam que pacientes com Síndrome de Brugada, mas sem história prévia de parada cardíaca ou síncope de origem desconhecida, têm um risco muito menor de ventos arrítmicos. Nesta população de pacientes assintomáticos, aqueles que apresentam ECG basal normal têm um risco futuro de eventos arrítmicos semelhante a população em geral e assim pode-se lhe dar confiança. Com base nos dados disponíveis atualmente, os pacientes assintomáticos que apresentam ECG anormal têm um risco baixo de eventos arrítmicos, ainda que suficientemente alto para garantir uma melhor estratificação de risco com o melhor método disponível atualmente; o estudo eletrofisiológico. Se durante o estudo eletrofisiológico o paciente for indutível, ele deve ser considerado de baixo risco para futuros eventos arrítmicos. Finalmente nossos dados recentes indicam que as crianças identificadas na pesquisa familiar de um caso presenciado, com ECG basal normal, também têm um bom prognóstico a curto prazo. Sem dúvida, inclusive nesta população de baixo risco, consideramos importante seguir as recomendações. Ainda mais importante, pedimos aos pacientes entrem em contato conosco imediatamente em caso de síncope. Todos os pacientes devem evitar as drogas da classe I que podem piorar a síndrome de Brugada e se têm febre devem tratá-la de forma agressiva. Assim mesmo, recomendamos a pesquisa dos familiares de primeiro grau em todas as famílias.”

Advertisements

Acções

Information

6 responses

3 11 2010
Pedro Pessoa

Caro Thierry,

Foi-me diagnosticado recentemente o SB, ao qual me foi implantado um CDI,
nunca tive nenhum sintoma…
O que são drogas do tipo I ???
Que efeitos tem a febre em indivíduos com SB???
Parabéns pelo teu blog… excelente trabalho!

Cumprimentos,

Pedro Pessoa

4 11 2010
Thierry Martins

Olá Pedro,

A febre pode despoletar arritmias, e por isso, é aconselhável trata-la imediatamente e não deixar que a mesma suba. No meu caso, às vezes, o calor também me provoca palpitações. Portanto, parece-me que tudo o que faça aumentar a temperatura corporal, deve ser controlado.

Como é que descobriram que tinha SB? Algum exame de rotina?

Obrigado pelo seu comentário.

4 11 2010
Pedro Pessoa

Boas Thierry,

Alguns anos num exame de rotina (ECG), o médico detectou um padrão irregular, mas não sabia o que era, tinha 19 anos, depois de vários exames…, estava tudo normal.
Acontece que o meu pai veio de Angola á poucos meses com sintomas de malária, e como é protocolo, foi internado nos HUC em Coimbra para fazer exames… onde por acaso fez um ECG, com um diagnóstico sugestivo SB.
Até aqui, nem eu nem o meu pai, tivemos alguma vez qualquer tipo de sintoma.
Passado relativamente um mês, depois de ter visto a seleção a perder com a Espanha para o mundial, senti-me diferente, mas não senti qualquer tipo de arritmia ou palpitação, verifiquei a tensão arterial, e como estava altíssima, e depois do diagnóstico do meu pai fiquei muito nervoso e assustado e resolvi ir aos HUC, onde me disseram que iria ficar internado para fazer exames. Concluindo… depois de muitos ECG’s, e ECO’s, Holter e o estudo EF que foi horroroso, foi-me implantado um CDI.
Já passaram 3 meses, e nunca tive nenhum sintoma, os médicos não me esclareceram, deram apenas um livro com os cuidados a ter com o CDI… as únicas respostas que encontrei foram aqui. (OBRIGADO)
Não tenho ninguém com que falar, vivo preocupado porque o meu pai não chegou a implantar um CDI…o meu filho poderá ter SB, como sou promotor passo a vida a conduzir…esperando que nunca desmaie. Tem sido complicado… mesmo muito.
Desculpa o testamento… mas eu não tenho ninguém com que falar…
Se tiveres alguma dúvida ou quiseres contactar-me não hesites. Posso te dar o meu número telefone.

Com os melhores Cumprimentos,

Pedro Pessoa

5 11 2010
Thierry

Olá Pedro,

Como eu te comprendo…..

Eu passei por tudo isso que estás a dizer em 2002 e só em 2005 é que consegui falar com alguém que partilhasse as mesmas preocupações.

Os médicos nesta área são uns insenciveis. No que trata a apoio psicológico ,esquece, tens de ser tu a desenrascar-te….

Mas no meio disto tudo, uma coisa é certa, ESTÁS PROTEGIDO.

4 01 2011
elodie costa

ola,sou a elodie.
diagnosticaram-me recentemente sb ,aguardo o resultado do exame genetico,
e estao a considerar a implantação dum cdi.gostaria de partilhar emoções com
vocês pois è mt dificil falar com alguem que conheça a doença.
obrigada

18 01 2011
Thierry Martins

Olá Elodie.

Já lhe implantaram o CDI? Como se sente? Como lhe foi diagnosticado o SB?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: