Criado Microchip que ajuda a prevenir a morte súbita

12 04 2012

Investigadores portugueses querem evitar casos como o do futebolista Miklos Fehér.

Um grupo de investigadores portugueses criou um Microchip de ADN que ajuda a prevenir os dramáticos episódios de morte súbita em atletas de alta competição, como sucedeu por exemplo ao húngaro Miklos Fehér em 2004.

Imagem

Chip analisa mutações de ADN que permitem detectar se uma pessoa está sujeita a um risco elevado de sofrer de Miocardiopatia Hipertrófica

Esta nova tecnologia, que foi esta quinta-feira apresentada e revelada num hotel em Cascais, faz a análise de mutações de ADN que permitem detectar se uma pessoa está sujeita a um risco elevado de sofrer de Miocardiopatia Hipertrófica, uma condição especialmente grave e o principal causador de morte súbita nos atletas.

“Todos deviam fazer este teste. Isto representa uma esperança para o atleta. Estamos a dar oportunidades de vida. O primeiro sintoma de morte súbita é a morte súbita, por isso, não há esperança”, lembrou Ana Teresa Freitas, uma das investigadoras e responsáveis pelo aparecimento desta tecnologia em Portugal.

Este Microchip de ADN foi desenvolvido no Instituto Superior Técnico (IST) e no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento de Lisboa (INESC-ID), durante mais de sete anos, e vai ser lançado no mercado pela empresa SHPG-HeartGenetics.

“Está ainda em análise o valor final de mercado, mas não será dispendioso. Será acessível, não só aos clubes, mas também às famílias portuguesas. Estamos ainda a negociar por isso não posso avançar valores, mas esperamos ter o produto no mercado a partir de Agosto ou Setembro”, explicou Pedro Ribeiro, presidente da SHPG-HeartGenetics.

Fonte: Correio da Manhã

Anúncios

Acções

Information

3 responses

12 04 2012
maria

O orçamento gasto na Investigação e no Ensino não são” passivos” mas “activos” em qualquer país.

Parabéns ao IST e INESC-ID e um muito obrigada!

13 04 2012
João Paulo

Os atletas de alta competição têm aproximadamente o dobro da probabilidade de ter uma morte súbita, no entanto e sabendo que no nosso país morrem entre 40 a 100 pessoas com menos de 35 anos vitimas de morte súbita, podemos concluir que a esmagadora maioria dessas mortes acontece em individuos que não são atletas.

Fazer esse teste aos atletas e fazê-lo àqueles individuos que menos precisam disso e que mais protegidos estão.

13 04 2012
João Paulo

Esqueci-me de dizer: 40 a 100 por ANO.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: