Perguntas e Respostas – CDI (cardioversor-desfibrilhador implantável )

6 03 2011

Eis as respostas para algumas das questões que possam surgir a quem é portador de CDI.

O que devo esperar durante a cirurgia de implante do CDI?

Normalmente, o procedimento para implante de um dispositivo de coração é feito sob anestesia local.  Receberá medicação para torná-lo sonolento e confortável. Não requer cirurgia de coração aberto, e a maioria das pessoas pode ir para casa logo no dia seguinte. O médico irá fornecer informações mais detalhadas, mas a maioria das pessoas pode retomar gradualmente as suas atividades habituais logo após o procedimento.

O que acontece quando eu receber um choque?

Experimentar um choque de um CDI pode ser uma preocupação para muitas pessoas, especialmente por se pensar que nos irá apanhar de surpresa. Mas geralmente, após o choque a pessoa sente-se bem, embora os primeiros nos deixe um pouco desorientados.
É importante conversar com seu médico para saber exatamente o que fazer. O médico pode querer que o contacte depois de ter um choque, mas normalmente não é necessário, a não ser que esteja a passar por uma tempestade de choques.

Será que o choque do CDI afecta a minha aparência?

Às vezes as pessoas perguntam se haverá uma protuberância visível onde o dispositivo foi implantado. Em geral, você pode notar um ligeiro solavanco sob a pele onde o CDI está localizado.

Terei que mudar meu estilo de vida?

Um dispositivo cardíaco implantável permite muitas pessoas levar uma vida normal, e participar nas actividades que o beneficiam. O seu médico terá mais informações sobre as atividades que você deve evitar, como por exemplo, actividades em que alguns segundos de inconsciência pode ser perigoso para si mesmo ou outros. No entanto, a maioria das pessoas retomam as suas actividades diárias normais após a recuperação total da cirurgia.

Onde posso encontrar recursos adicionais?
Em Portugal há poucos recursos disponíveis para indivíduos com CDI. Fale com o seu médico e mostre as suas preocupações. Aqui neste blog, tenta-se ir reunindo informações gerais sobre os cuidados a ter e procura ser um lugar de partilha de experiencias.

Como será o aspecto da cicatriz após o implante?

 

Veja como aparece o CDI num Raio-X.

Anúncios




CDI – Cuidados a ter com os telemóveis

12 12 2009

 

Ao longo dos anos, e à medida que os telemóveis se iam tornando mais populares, os fabricantes de pacemakers e desfibriladores implantáveis (CDI)  fizeram vários estudos para determinar o seu efeito sobre estes dispositivos médicos.

Muitos pacemakers e CDI’s são especificamente projectados para resistir aos efeitos dos telemóveis, no entanto a tecnologia tem mudando constantemente. Os estudos determinaram que, para evitar qualquer potencial efeito, os indivíduos que usam os telemóveis não são aconselhados a colocar os telefones directamente sobre os dispositivos implantados.

Quando certos telefones são usados muito próximo (menos de 15 centímetros) do dispositivo, estudos indicam que podem haver alguns efeitos temporários. Os efeitos potenciais são devidos ao sinal de rádio frequência do telefone. Qualquer efeito será temporário e afastando o telefone, o pacemaker e o CDI voltarão ao seu estado normal de operação.

Porque a tecnologia continua a evoluir, e por causa da grande variedade de telefones e dispositivos implantáveis, torna quase impossível uma recomendação absoluta que abranja todos os telefones e pacientes. Portanto, para garantir que não haja efeitos adversos os fabricantes sugerem os seguintes conselhos:

  • Mantenha uma distância mínima de 15 centímetros entre o telemóvel e o dispositivo. Para telefones com potência de transmissão acima de 3 watts, é aconselhado uma distância mínima de 30 centímetros entre a antena e o dispositivo implantado.
  • Utilize o telefone no ouvido oposto do dispositivo.
  • Não transporte o telemóvel num bolso ao peito (se o seu dispositivo é implantado no peito) ou num cinto (se o seu dispositivo é implantado no abdómen).
  • Guarde o telefone num local  oposto do lado do implante do dispositivo.