Desfibrilhadores nas ambulâncias salvam 17 pessoas

9 09 2012

Os aparelhos desfibrilhadores instalados em ambulâncias permitiram salvar a vida este ano a 17 pessoas em paragem cardiorrespiratória, anunciou neste domingo o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Segundo um comunicado do INEM, “entre Janeiro e Julho foram administrados 241 choques a cidadãos que sofreram uma paragem cardiorrespiratória, dos quais resultaram 17 vidas salvas”.

Estes aparelhos, que emitem uma descarga eléctrica, permitiram nesses casos a recuperação dos sinais vitais dos pacientes e em cinquenta outras intervenções devolveram a actividade eléctrica ao coração.

Os choques eléctricos foram aplicados 170 vezes em ambulâncias de corporações de bombeiros e 71 vezes em ambulâncias do próprio INEM.

Actualmente há 431 ambulâncias com desfibrilhadores automáticos externos, 93 do INEM e 338 dos bombeiros.

Imagem

Fonte: Correio da Manhã

Anúncios




MOROSINI, o último jogador a falecer no campo de futebol

15 04 2012

Link para a noticia em espanhol:

Imagem





Criado Microchip que ajuda a prevenir a morte súbita

12 04 2012

Investigadores portugueses querem evitar casos como o do futebolista Miklos Fehér.

Um grupo de investigadores portugueses criou um Microchip de ADN que ajuda a prevenir os dramáticos episódios de morte súbita em atletas de alta competição, como sucedeu por exemplo ao húngaro Miklos Fehér em 2004.

Imagem

Chip analisa mutações de ADN que permitem detectar se uma pessoa está sujeita a um risco elevado de sofrer de Miocardiopatia Hipertrófica

Esta nova tecnologia, que foi esta quinta-feira apresentada e revelada num hotel em Cascais, faz a análise de mutações de ADN que permitem detectar se uma pessoa está sujeita a um risco elevado de sofrer de Miocardiopatia Hipertrófica, uma condição especialmente grave e o principal causador de morte súbita nos atletas.

“Todos deviam fazer este teste. Isto representa uma esperança para o atleta. Estamos a dar oportunidades de vida. O primeiro sintoma de morte súbita é a morte súbita, por isso, não há esperança”, lembrou Ana Teresa Freitas, uma das investigadoras e responsáveis pelo aparecimento desta tecnologia em Portugal.

Este Microchip de ADN foi desenvolvido no Instituto Superior Técnico (IST) e no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento de Lisboa (INESC-ID), durante mais de sete anos, e vai ser lançado no mercado pela empresa SHPG-HeartGenetics.

“Está ainda em análise o valor final de mercado, mas não será dispendioso. Será acessível, não só aos clubes, mas também às famílias portuguesas. Estamos ainda a negociar por isso não posso avançar valores, mas esperamos ter o produto no mercado a partir de Agosto ou Setembro”, explicou Pedro Ribeiro, presidente da SHPG-HeartGenetics.

Fonte: Correio da Manhã





Paragem cardíaca: Médio inglês caiu inanimado durante jogo da taça

25 03 2012

O coração de Fabrice Muamba, futebolista do clube inglês Bolton, esteve 78 minutos sem reagir às sucessivas manobras de reanimação efectuadas pela equipa médica que prontamente o assistiu, ainda no relvado, segundos depois de o jogador ter caído inanimado durante um jogo da Taça de Inglaterra frente ao Tottenham, a 17 de Março. O feito já apelidado de “milagre”, apesar de raro, não é inédito.

De acordo com Nelson Pereira, membro da direcção do Conselho Português de Ressuscitação, o futebolista terá sofrido uma fibrilhação ventricular, embora ainda não seja possível determinar com exactidão os motivos. “As células do coração desenvolvem estímulos eléctricos, que são rítmicos e dão origem à contracção muscular. O que acontece neste tipo de casos é que a actividade eléctrica deixou de ser ordenada com a actividade muscular. O coração deixou de se contrair, de bombear o sangue, de fazer chegar o oxigénioao cérebro”, explica Nelson Pereira, acrescentando que, nestes casos clínicos, os médicos devem continuar as tentativas de reanimação até que o quadro clínico se altere.

“Não é vulgar tanto tempo de reanimação, mas acontece porque nunca se deve desistir da reanimação nos casos de fibrilhação ventricular, uma vez que há uma grande probabilidade de se conseguir recuperar o paciente”, afirma o especialista.

“Não há aqui um milagre, mas sim uma boa prestação da cadeia de sobrevivência”, sublinha o clínico.

Para Luís Negrão, médico de saúde pública e membro da Fundação Portuguesa de Cardiologia, “é cedo para saber se o jogador terá sequelas” já que estas “dependem do tempo que os órgãos estiveram privados de oxigénio e das áreas mais afectadas”.

Fonte: “Correio da Manhã”





Entrevista da RTP1 com a maior família diagnosticada com a Síndrome de Brugada

22 03 2012

Para poder aceder ao vídeo click no link abaixo.

Link para o vídeo

Imagem





Hospital de Viseu e Ipatimup salvam vida a família inteira

19 03 2012

É uma das maiores famílias com Síndrome de Brugada do Mundo. Diagnosticados em Viseu com a colaboração do Ipatimup.

É uma história de vida súbita. Um homem com problemas gástricos sofria, afinal, de Síndrome de Brugada (morte súbita), tal como boa parte da família. Estão diagnosticados; desta doença já não morrem.

Vai fazer em junho quatro anos que um jovem cardiologista, a iniciar o internato no Hospital de Viseu, foi chamado a observar um eletrocardiograma (ECG) que indiciava uma doença descoberta há apenas duas décadas por dois irmãos espanhóis que lhe deram o nome: Brugada. Hoje, sabe-se que a síndrome é a principal causa de morte súbita cardíaca em pessoas jovens e saudáveis.

Hospital de Viseu e Ipatimup salvam vida a família inteira

Notícia desenvolvida no Jornal de Notícias de 19 de março de 2012





Jovens: Morte súbita entre as cinco principais causas de morte

6 02 2012

“A morte súbita cardíaca está entre as cinco principais causas de morte nos jovens”, segundo com Rui Providência, médico cardiologista do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

O mesmo responsável refere que “muitas vezes, as patologias subjacentes são facilmente detectáveis por electrocardiograma ou avaliação clínica e possuem tratamento eficaz. Assim sendo, grande parte destas mortes seria evitável se fossem realizados rastreios a esta população”.

Com o objectivo de evitar mais casos de morte súbita entre a população jovem, o projecto SCDSOS (Sudden Cardiac Death Screening Of risk FactorS) vai realizar uma acção de rastreios em jovens dos 18 aos 35 anos da zona de Coimbra.

De acordo com Rui Providência, “uma acção idêntica foi realizada em desportistas italianos e os casos de morte súbita cardíaca diminuíram 90 por cento nos últimos anos”.

Sob o mote “Dá-nos 5 minutos e nós damos-te 1 Vida”, o rastreio (que compreende a realização de um electrocardiograma e preenchimento de um questionário informatizado) pretende avaliar os factores de risco de morte súbita de toda a população estudantil da cidade de Coimbra. Com esta acção, o projecto SCDSOS pretende ainda compreender quantas vidas podem ser salvas se esta acção fosse de âmbito nacional.

As primeiras acções de rastreios estão já marcadas para o mês de Fevereiro:

   27 de Fevereiro a 2 de Março – Escola Superior de Enfermagem de Coimbra – Polo A (Av. Bissaya Barreto – Celas).

   5 a 9 de Março – Escola Superior de Enfermagem de Coimbra – Polo B (Rua 5 de Outubro – S. Martinho do Bispo)

  12 a 16 de Março – Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, S. Martinho do Bispo

  19 a 30 de Março, Polo III – Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

Escrito por: Sónia Trigueirão

Publicado por: Correio da Manhã