Como o CDI salvou mais uma pessoa

10 06 2009

futebolAnthony Van Loo, jogador do SV Roeselare que joga na primeira divisão belga de futebol, sofreu um desmaio durante o jogo frente à equipa da Antuérpia no domingo passado. Foi salvo graças ao desfibrilhador que lhe tinha sido implantado no ano passado.

Como podem ver no vídeo (clique na foto acima), cerca de 7 seg depois de ter caído, o CDI deu um  choque e o jogador voltou a si, recuperando de uma arritmia que teria sido fatal, caso não lhe tivesse sido aplicada a terapia.

Clique na imagem para ver o vídeo.

Anúncios




13 de Junho – Dia Mundial das Arritmias

9 06 2009

Arritmia

No âmbito da campanha Bate Bate Coração e em simultâneo com outras organizações internacionais, irá-se comemorar no dia 13 de Junho o Dia Mundial das Arritmias.  Serão organizadas acções esclarecimento nos principais hospitais de todo o país, com a colocação de bancas onde se distribuirá material informativo sobre as arritmias cardíacas.

ArritmiasNa opinião do coordenador nacional da campanha, Dr Carlos Morais, “ esta iniciativa é um dos eventos mais importantes da campanha, pelo seu poder mediático e como contributo significativo para uma ampla discussão na sociedade sobre o tema das arritmias cardíacas, aumentando o conhecimento geral dos portugueses sobre este tema e assim facilitar o acesso a diagnósticos e terapêuticas.”

Se tem dúvidas ou questões relacionadas com arritmias, este é o momento ideal. Visite um dos hospitais aderentes entre as 10 e as 18 horas, e encontrará profissionais de saúde capazes de esclarecer e informar.

Hospitais aderentes: Faro, Setúbal, Sta Marta, Sta Maria, Fernando Fonseca, Santarém, Aveiro, Coimbra, Sto António e Braga.





Mais de 200 pessoas estiveram na 1º Caminhada Bate, Bate Coração – Parque das Nações – Lisboa

8 06 2009

 

Grupo

O entusiasmo e o nervosísmo foram os sintomas maioritariamente sentidos nos dias que antecederam este grande evento.

O entusiasmo por se estar a preparar uma iniciativa inédita, e o nervosismo por se tentar antecipar a adesão e o estado do tempo. 

Sem dúvida que todas as dificuldades foram ultrapassadas, como a do transporte que se mostrou como uma mais valia, e tornaram este dia 6 de Junho um dia Maravilhoso e digno de se ser recordado sempre que se fala da Campanha Bate, Bate Coração.

A organização está de Parabéns. O Dr Carlos Morais, o IPRC, a APPPC, e a APAPE, mostraram que com um pouco de vontade e sacrifício, tudo se consegue.

As bancas dispostas ao longo do percurso foram um sucesso. Desde aprender a medir o ritmo cardíaco, passando pela troca de experiências durante o passeio, não esquecendo o apoio do pessoal voluntário e as saborosas maçãs de Alcobaça que nos foram distribuídas, tudo funcionou às mil maravilhas. Até tivemos direito a umas pingas de água “molhada” para nosso refresco.

Terminámos a caminhada sob a pala do Pavilhão de Portugal, onde ainda houve tempo para fazer balanço do encontro e falar um pouco do Futuro, antecipando a 2º Caminhada Bate, Bate Coração.

Quero deixar aqui a minha gratidão às pessoas do Algarve que aceitaram este desafio, e um especial agradecimento à minha mãe e à Luísa Segismundo, Cardiopneumologista do Hosp. de Faro, que muito me ajudaram.

Grupo 2

Passeio 1

Grupo Ponte

Noticias: Correio da Manhã





Inscrições – 1º Caminhada Bate, Bate Coração

1 06 2009

 

Como já é do vosso conhecimento, vai decorrer no Parque das Nações – Lisboa, a 1º caminhada Bate, Bate Coração. Se morar fora da grande Lisboa, pode sempre contar com o apoio dos nossos autocarros.

Se morar no Algarve, e estiver interessado em participar nesta grande iniciativa, pode inscrever-se da seguinte forma:

 – Serviço de Cardiologia do Hospital de Faro – Contactar a Técnica Cardiopneumologista Luisa,

 – Através do nº de tlm. 966 570 158 de Thierry Martins, ou,

 – Através do e-mail  síndrome.brugada@gmail.com

Se morar na zona centro contacte a Associação Portuguesa de Portadores de Pacemakers e CDI´s (APPPC). www.apppc.pt

Contamos convosco, incluindo familiares e amigos, neste que vai ser o maior encontro nacional de portadores de Pacemakers e CDI’s.

Este evento é da responsabilidade da campanha “Bate, bate coração – Sinta o seu ritmo”, promovida pelo Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC), a Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Electrofisiologia (APAPE) e a Associação Portuguesa de Portadores de Pacemakers e CDI´s (APPPC).

Contamos consigo!





Um Sucesso – Encontro Bate, Bate Coração – Faro

23 05 2009

 

DSC_6020Foi sem dúvida um grande sucesso, o encontro Bate, Bate Coração que decorreu no Hospital Distrital de Faro. A adesão foi de tal forma grande e sem precedentes, que a sala do anfiteatro estava lotada. Penso que entre pessoas portadoras de Pacemakers e CDI’s, familiares e profissionais de saúde, devem ter estado perto de 100 pessoas.

Comprova-se assim, que o impacto que a campanha Bate, Bate Coração tem vindo a ter na população portuguesa está a crescer, no entanto muito há a fazer para que se consiga chegar a um maior número de pessoas esta informação.

A sessão foi aberta pelo Dr Rui Candeias, Cardiologista do Hospital anfitrião, que fez uma apresentação admirável sobre a história e desenvolvimento dos dispositivos implantáveis, abordando desde os primórdios da investigação até à actualidade. Pode-se ver como foram realizadas as primeiras experiências com estímulos eléctricos em animais e como estas evoluíram até ao registo dos primeiros electrocardiogramas.

Seguiu-se a Enf. Patrícia do Hospital Prof. Dr Fernando da Fonseca (Amadora/Sintra), que fez uma abordagem sobre os mitos de uma vida saudável, enquanto portadores de pacemaker’s e CDI’s. Evidenciou ainda a forma como no Hosp. Amadora-Sintra se faz o acompanhamento pré e pós-operatório dos portadores destes dispositivos.

Aceitando o convite endereçado pelo Dr Carlos Morais, coordenador da campanha, coube-me a mim dar continuidade ao evento, partilhando a minha experiência enquanto portador de CDI. Como nunca tinha falado em público sobre este assunto, iniciei o meu discurso com o auxilio de um pequeno texto que havia preparado previamente, só para evitar esquecer alguns dos pontos.

Com um pouco de nervosismo miudinho, lá comecei a relatar a minha pequena história de vida. Nada fazia crer que a meio do relato acabaria por me comover, incluindo a plateia, com a descrição do meu primeiro episódio. Tive que fazer várias pausas para conseguir articular as letras e formar frases. Foi uma emoção. Nunca pensei que ao fim destes anos, e depois de ter falado tantas vezes sobre este assunto, tal pudesse acontecer!

A plateia foi formidável ao compreender e a colaborar colocando questões. Foi uma grande e enriquecedora experiência. Houve ainda oportunidade para se debater a importância da criação de grupos de apoio, como forma de ajudar os portadores destes dispositivos a ultrapassarem mais rapidamente o impacto psicológico, que não é nada pacífico.

Para finalizar o encontro, Dr Carlos Morais Cardiologista do Hosp. Amadora-Sintra, acentuou entre muitos aspectos, a necessidade de dar maior atenção ao coração. Referiu ainda que a principal causa de morte em Portugal são as doenças cardiovasculares, evidenciando que é necessário dar importância a sintomas que por vezes temos e não lhes damos a devida atenção, como uma pequena dor no peito, arritmia, palpitação, desmaio, etc. Concluiu com a apresentação dos próximos eventos, dos quais salientou o jantar/concerto com o Carlos do Carmo, encontro/marcha a ter lugar no Parque das Nações no dia 6 de Junho e o dia 13 de Junho como o dia nacional do Ritmo Cardíaco, onde vão haver bancas pelos os Hospitais a sensibilizar para os problemas do foro arrítmico.

O encontro terminou com um pequeno lanche, o que permitiu que todos os participantes podessem abordarem os oradores colocando questões. Algumas pessoas vieram ter comigo, felicitando-me pela coragem e pedirem para se avançar com os grupos de apoio, por considerarem muito importante.

Ver: Noticias Hosp. Faro